RELEASE

VEJA AS OBRAS EXPOSTAS CLICANDO NO NOME DOS ARTISTAS ABAIXO

Silvina D'Alessandro

João Paulo Leite

Exposição:      Silvina D'Alessandro / João Paulo Leite

Abertura:                   08 de março, 4ª feira, às 20h.

Período:                    09 a 29 de março 2006

Horário:                     Segunda a sexta das 10h às 19hs - Sábado das 10h às 17hs


Piso 1
Silvina D’Alessandro

"Proyector Incomfort"

Da nova geração de artistas Argentinos, Silvina D’Alessandro em sua primeira individual em São Paulo, mostra 6 instalações, ocupando espaço entre 3mx3mx3m, 3mx3mx5m e 4mx4m, mais 15 objetos, total de 20 obras. Utiliza na confecção de sua obra, couro, pele de animais, sacos plásticas de leite, tecidos sintéticos e impermeáveis.
Silvina D’Alessandro utiliza réplicas de alguns sistemas de fabricação de objetos (moldes de indumentária, tratamento e transformação artesanal de materiais reciclados, métodos de fechar e abrir de utencilios pessoais) com a intenção de colocar em evidencia a ação de armar e desarmar. A construção e o processo de realização de um objeto, caracteristicas ligadas a projetabilidade do design, o design como ferramenta. A arte simulando ser design, o artista simulando ser designer. Literalidade de alguns dos objetos, ex: “Equipo Sistema de enganche y desenganche” nos quais existe a possibilidade de transformar as peças de arte em simulacros de objetos de uso doméstico.
Limite com o cenográfico, fantasia, que complementa uma crítica a praticidade, ex: “prototipos inconfort.”
Faz uso de tecnicas artesanais, apreendidas a partir do doméstico a partir da visão futuristica proveniente das décadas de florescimento consumista, ironizando-as.

Nº de obras em exposição
16 intalaçoes, que ocupam mais ou menos um espaço de 3x3x3m, 3x3x5m e 4x4m
14 objetos de parede em tamanhos diversos entre 37x18x10cm e 80 x62x100cm

Ficha técnica
Objetos em couro, pele de animais, sacos plásticos de leite, tecidos impermeáveis e sintéticos.

preços
de R$ 800,00 a R$ 9.500,00

Texto:
Incomfort: Plástico por natureza

in 1. pref. Del lat. in-, hacia dentro. Suele significar 'adentro' o 'al interior'.
2. pref. Del lat. in- de valor negat. o privat. Indica negación o privación.

confort. Del fr. confort, y este del ingl.comfort.
1. m. Aquello que produce bienestar y comodidades.

O projeto Incomfort apresenta as contradições próprias do prefixo de seu título: afirmação e negação do bem estar e da comodidade no âmbito da arte e do design. Pareceria que a missão dessa linha de acessórios para um futuro imaginado é a antecipação de seus usos extremos, configurados no choque fictício da racionalidade do objeto com a irracionalidade das necessidades. Este decisivo encontro que Baudrillard teorizará em “O Sistema dos Objetos” sobre a vida cotidiana, Inconfort especula em sua transposição de estruturas mentais ficcionais a estruturas funcionais.

Uma das opções que Incomfort vislumbra para o futuro se traduz em Equipo. Nesta série, o plástico aparece para confirmar a qualificação de Barthes como “substância alquímica” ou “matéria milagrosa”. Neste caso o material sintético não transmuta para inventar um objeto, senão que ao finalizar sua vida como saco de leite, se reconverte em brilhante, impermeável e térmico ”textil” para um saco de dormir, jaleco e mochila. Um precedente improvável desse material, remonta às donas de casa quando há várias décadas, por novidade e necessidade costumavam tecer sacolas de compras com esses sacos. O design vistoso e anatómico de Equipo trata de ocultar sua aspereza ao tato e som irritante. Coleção econômica mas ambiciosa, uma vez referida ao crescimento e desenvolvimento extremo de dois níveis de relação com os objetos: um primário de sobrevivência ou resistência e outro o de sua estetização nas m&at