voltar    
Maré

A instalação maré, cujo centro é uma grande imagem de água gravada em madeira e impressa em papel fino japonês, busca sugerir uma certa narrativa do ser a partir de complementaridades como água e fogo, contemplação e gesto, leveza e peso, luz e sombra, através das relações simbólicas estabelecidas entre as gravuras, vídeos, fotografias e músicas que integram a obra do artista Ernesto Bonato. O projeto, iniciado em 2011, durante residência artística na Unicamp, levou seis anos para ser desenvolvido e já foi exposto em algumas cidades do Brasil, antes de chegar a São Paulo. As xilogravuras, gravada a partir de fotografias do artista, ganham uma escala que extravasa a dimensão física do observador, desdobrandose a partir de módulos e de experiências cromáticas que modificam a imagem a cada impressão. Um outro aspecto que o projeto discute é o da impermanência dos grandes ciclos naturais, buscando despertar os sentidos para uma escuta mais fina dos processos internos da natureza que interferem e sofrem interferência do homem e para o tempo que rege e se manifesta nesses processos.

Além do claro viés ambiental e existencial, o projeto busca ampliar a apreciação e reflexão da gravura contemporânea, revelando seu aspecto mutante e impregnante a partir de elementos como escala, difusão, diálogo entre processos tecnológicos modernos e tradicionais, ocupação de espaço, relação da fotografia com a gravura, som, imagem e memória.

A criação sonora presente na instalacão maré foi concebida especialmente pelo grupo instrumental Âmago Trio (Raul Rodrigues, Vinícius Bastos Gomes e Pedro Destro). O cd ’maré I amago trio’ será lançado durante o período da mostra com a presença dos músicos em uma audição pública na galeria. Hymnos é o título do vídeo feito em colaboração com Vinícius Cruz e que integra a instalação maré, uma espécie de síntese das questões que vem sendo trabalhadas pelo artista e que não deixa de sugerir também o caráter musical e invocativo geral das imagens oferecidas. A mostra inclui ainda obras da série Deambulatório (2006- 2014), composta de xilogravuras também decorrentes de fotografias gravadas a partir de um sistema baseado em micro punções. O cartaz oferecido ao público é considerado também uma obra da exposição e visa, entre outras coisas, ampliar o alcance da obra gráfica para além das paredes da galeria. O texto do cartaz é de Ulysses Bôscolo de Paula.

Ernesto Bonato

Mais informação, fotos e vídeos sobre o projeto maré >
http://projetomare.wixsite.com/mare
https://www.facebook.com/projetomare
https://www.youtube.com/channel/UCTB11KfkKbWYwSIGVFykgrA/videos
Fotos em alta para download >
https://drive.google.com/drive/folders/0B5MMtv3RFO8pdlNZNW5TeHU2T28?usp=sharing

 
 
by artebr.com