Apresenta



Deco Farkas

04 de junho – 19 de julho de 2014

Abertura: 04 de junho às 20hs

A Galeria Virgilio inaugura no dia 04 de junho, quarta-feira, às 20 horas, a mostra individual “Esse Treco” do artista paulistano Deco Farkas, pintor muralista e grafiteiro que vem usando a cidade de São Paulo como suporte para seus trabalhos, onde assina TRECO.

A mostra reúne trabalhos inéditos realizados no período de 2013 e 2014. Deco mostra pinturas sobre madeira, parede e vídeos.

Segundo Vicente Góes, Deco é um artista simples e vibrante. Sua arte não se esconde em conceitos, não agride com críticas óbvias, não complica a percepção daquele momento único de espanto quando respiramos a primeira impressão. Ela traz o olhar genuíno do espanto, seja pelas cores fortes, traços seguros ou volumes maciços. Uma arte expressiva que não só deixa de investir nas tensões intelectuais, mas as alivia, quebrando o ritmo cognitivo do olhar e da imaginação. Seu processo criativo passa entre a sensação visual do inusitado e a intuição simbólica própria e peculiar e pelo povoamento onírico de criaturas fantásticas.

Ainda segundo Vicente Góes, Deco realiza no grafite todo potencial da arte que revitaliza o peso urbano, povoa esse mundo com criaturas apropriadamente bizarras, às vezes jocosas, às vezes insólitas, todas inspiradoras e sem razões ativistas ou de protesto. Sua exploração em outras mídias, como as animações, tem a mesma dinâmica de apreciação das sensações - neste caso os choques, as partes, articulações e encaixes, as sincronias - agora com a dimensão do movimento.

Sobre o artista:
Deco Farkas é um artista de rua (grafiteiro) que vive e trabalha em São Paulo, formado pela FAAP – Fundação Armando Álvares Penteado.

Fez diversos trabalhos para outras mídias, tais como ilustração para livros (“O Natimorto” – Cia das Letras e “Minhocas” – Cosac Naify) jornais, animações para DVD (Pequeno Cidadão) e TV (MTV).
Seu trabalho de pintura foi matéria da revista KAZA número 84, da revista VOGUE RG, numero 107, seus trabalhos de rua compõem o livro Graffiti SP de Ricardo Czapski – IPSIS e ainda foi selecionado para representar o Brasil no livro "Nuevo Mundo, Latin American Street Art", publicado pela editora "Gestalten".

Links de vídeos:
Trabalho de Rua – Processo de Produção
Arte1 – Produção de Obra na SP-Arte
“O Móvel, o Bastão, a Bola e a Cesta”
“Ela Está Cansada de Secar”

Links de matérias e outras publicações:
Fotos Ilustríssima – “Deco Farkas e Jack Chang sobre a era pós-Obama”
Revista Brasileiros – “Artista Polivalente”
Converse – “Rabiscos: Viva a Rua!”
Flickr


Apresenta



Renata Pedrosa

04 de junho – 19 de julho de 2014

Abertura: 04 de junho às 20hs

A Galeria Virgilio tem o prazer de apresentar Chão uma exposição de desenhos, projeções, objetos e fotografia de Renata Pedrosa, aberta à visitação de 04 de junho a 19 de julho de 2014.
Chão apresenta cinco trabalhos inéditos que partem de observações que a artista faz da cidade de São Paulo. Em sua terceira exposição individual na Galeria a artista continua sua pesquisa de desconstrução e reconstrução de imagens apropriadas desta cidade.
Na série Cidade Paraíso ela usa fotos encontradas na internet para criação de desenhos por meio da sobreposição de diferentes vistas de uma mesma região de São Paulo, o bairro de Paraisópolis.
No vídeo Chão, que dá nome à exposição, a artista copia, progressivamente, sobre papéis quadriculados, uma foto aérea de 1958 do bairro que, na época, era um terreno vago. Estes desenhos compõem os frames do vídeo que é projetado sobre peças de gesso dispostas no chão formando a mancha urbana que configura atualmente este bairro.
Eletricidade é outra projeção que faz parte da exposição. A artista usa papel preto perfurado sobre um aparelho retroprojetor para criar uma vista noturna da mesma região da cidade.
Também fazem parte da exposição os trabalhos Caixa d’Água, uma fotografia em grande formato impressa em papel de outdoor, e Torres, maquetes feitas com palitos de fósforos, instaladas dentro de um armário da galeria e iluminadas por uma lâmpada incandescente que formam sombras agigantadas das torres no interior do armário.

Sobre a artista:

Renata Pedrosa participa de sua primeira exposição coletiva em 1994 no Salão MAM-Bahia de Artes Plásticas. Em 1996 muda-se para Nova Iorque, onde passa a ser representada pela Galeria Carla Stellweg. Em 1997 retorna ao Brasil e participa de diversas exposições pelo programa Rumos Visuais nas galerias do Itaú Cultural em Campinas, Penápolis, Belo Horizonte e Brasília. No final de 1998 recebe uma bolsa da Fundação Pollock-Krasner e participa da exposição Diálogos na Galeria SESC Paulista. Em 1999 faz uma exposição individual Fosso, no SESC Santo Amaro e participa da exposição Heranças Contemporâneas III no MAC Ibirapuera. Em 2001 faz sua primeira intervenção urbana intitulada Na Linha, para o evento de abertura Metro: a metrópole em você, do CCBB em São Paulo. Em 2002 participa de diversas exposições coletivas, entre elas Genius-Loci, O Espírito do Lugar, organizada pelo Centro Universitário Maria Antonia-USP. Também faz uma exposição individual na Funarte de São Paulo, Tecido na Madeira. Neste mesmo ano ganha um prêmio com a obra Maior do que um, pelo 10º Salão Paulista de Arte Contemporânea em São Paulo. Também em 2002 é convidada para duas residências, uma na Dinamarca e outra no estado do Paraná, o Faxinal das Artes. Em 2003 sua obra está em mais uma exposição no CCBB-SP intitulada Pele, Alma. Nesta ano realiza duas intervenções urbanas, uma em São Paulo e outra em Blumenau, e faz uma exposição individual na Zone Gallery, galeria da universidade de Nagoya no Japão. Em 2004 recebe o titulo de Mestre em Poéticas Visuais pela ECA-USP. Neste mesmo ano participa de um projeto no SESC Pinheiros, Labdart, onde realiza a obra Caixas e Caixas. Em 2005 faz uma obra de intervenção, Cego de Vê-la, que ocupa vários pontos de uma região de São Paulo. Em 2006 faz um DVD com suas obras de intervenção urbana para o evento de comemoração dos 5 Anos CCBB São Paulo. Em 2008 cria uma intervenção para a fachada da Galeria Vermelho, em São Paulo. Também faz uma exposição individual, Casa-Caixa de Projeção, na Galeria da Faculdade de Artes Visuais da UFG, Goiânia. Em 2009 faz uma exposição individual na Galeria Virgilio, intitulada 64 Desenhos para 2 Projeções onde apresenta duas instalações para projeções de desenhos. Neste mesmo ano participa de duas exposições coletivas: Era uma Vez: Arte Conta Histórias do Mundo, CCBB-SP e Múltiplos e Pequenos Formatos na Galeria Virgilio. Em 2010 realiza duas exposições individuais, uma no MARP-Museu de Arte de Ribeirão Preto e outra no Museu Histórico de Santa Catarina, onde mostra a instalação sonora Som e Fúria. Em 2011 realiza um trabalho temporário para o metrô de São Paulo na estação Trianon-MASP e faz uma exposição individual na Galeria Virgílio, Terras e Buracos. Em 2012 participa da coletiva Galeria Virgilio, 10 anos e em 2013 recebe o título de Doutora em Poéticas Visuais pela ECA-USP.


Eventos: Exposições individuais “Chão” de Renata Pedrosa e “Esse Treco” de Deco Farkas

Abertura: quarta-feira, dia 04 de junho, às 20 horas.
Período expositivo: de 04 de junho a 19 de julho de 2014

Local: Galeria Virgilio
Endereço: Rua Virgílio de Carvalho Pinto, 426
CEP 05415-020, Pinheiros, São Paulo - SP
Telefone: (55 11) 2373-2999 / 3062-8237
Horários: de segunda a sexta, das 10 às 19h; e sábados, das 11 às 17h
Entrada franca e livre

rua dr. virgilio de carvalho pinto 426 Pinheiros | 05415-020 | São Paulo SP | +55 (11) 2373.2999